segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021
Austin coloca em observação positiva o rating ‘brCC(sf)’ das Cotas do Anacleto FIDC; perspectiva estável
A Austin Rating informa que, no dia 16 de fevereiro de 2021, no contexto do monitoramento referente ao 4º trimestre de 2020 (4T20), colocou em observação positiva o rating ‘brCC(sf)’ da 1ª Emissão de Cotas de Classe Única (Cotas) do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Não-Padronizados (Anacleto FIDC NP / Fundo). O Anacleto FIDC NP investe na 1ª Emissão de Debêntures da Oi Móvel S/A – Em Recuperação Judicial (Oi Móvel / Devedora) – esses Direitos Creditórios representavam praticamente 100,0% de seu PL ao final de dez/20 -, de tal modo que a classificação atual, atribuída em ago/20, está alinhada ao perfil de risco bastante elevado daquela emissora e de sua controladora, a Oi S/A – em Recuperação Judicial (Oi S/A), holding do Grupo Oi e fiadora da referida emissão. A colocação da observação positiva sobre a classificação está diretamente relacionada à homologação pelo Juízo da Recuperação Judicial (7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), em 14 de dezembro de 2020, da venda da unidade produtiva isolada “UPI Ativos Móveis da Oi”, ao consórcio formado por Telefônica Brasil S/A, TIM S/A e Claro S/A, pelo valor de R$ 16,6 bilhões. A concretização desta venda, que ainda depende da anuência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), acionará a cláusula de Pré-Pagamento Obrigatório (6.2) prevista na Escritura da 1ª Emissão, o que significa que as debêntures poderão ser resgatadas anteriormente à data originalmente prevista (09 de janeiro de 2022), eliminando, assim, o elevado risco de refinanciamento do Grupo Oi no curto prazo.