segunda-feira, 9 de novembro de 2020
Austin afirma o rating ‘brBB(sf)’ das Cotas de Classe Única do FIDC TG Speciale FIC FIDC; perspectiva estável
A Austin Rating informa que, no dia 06 de novembro de 2020, no contexto do monitoramento relativo ao 3T20, afirmou o rating de crédito ‘brBB(sf)’ das Cotas de Classe Única (Cotas) do TG Speciale Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (TG Speciale FIC FIDC / Fundo). A classificação possui perspectiva negativa. A afirmação da classificação se deu em razão da preservação, ao longo do 3T20, do risco médio relevante da carteira do Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios TG Real (FIDC TG Real/ FIDC Investido), que está correlacionado com o risco das Cotas do TG Speciale FIC FIDC, dada a concentração dos investimentos deste FIC FIDC em Cotas daquele fundo (95,0% do PL, no mínimo) e a ausência de reforço de crédito advindo de estrutura de subordinação. No 3T20, trimestre-base do presente monitoramento, a qualidade dos créditos subjacentes do FIDC TG Real, diretamente relacionada à capacidade de pagamento de empresas do setor imobiliário e/ou de compradores de unidades de seus empreendimentos (loteamentos, unidades residenciais e frações imobiliárias), foi praticamente mantida, destacando-se, aqui, que, mesmo ante o cenário de crise provocado pela COVID-19, não houve deterioração significativa nos fundamentos das emissões (CRIs e CCIs), de modo que os impactos negativos diretos da crise gerada pela pandemia sobre os empreendimentos e suas carteiras, como atrasos de obras, inadimplência, desistências/distratos e redução de vendas, foram absorvidos e suportados, de modo geral, pela sobrecolateralização, por recursos de fundos de reserva e liquidez e por outros reforços e garantias presentes nas estruturas dos papéis mantidos pelo FIDC TG Real. Apesar do desempenho das emissões presentes na carteira do FIDC TG Real até set/20, a Austin Rating continua enxergando um cenário bastante desafiador para seus devedores nos próximos meses, o qual pode se agravar ante um eventual recrudescimento da pandemia nas regiões onde os empreendimentos vinculados às emissões estão sendo desenvolvidos e comercializados e com o iminente fim do auxílio emergencial do Governo Federal. Essas preocupações, somadas ao atual contexto de pressão inflacionária e, logo, sobre os índices que corrigem parte importante dos ativos do Fundo, justificam a presença da perspectiva negativa para o rating das Cotas do TG Speciale FIC FIDC.