quarta-feira, 23 de setembro de 2020
Austin atribui os ratings ‘brBBB-(sf)’ e ‘brBB-(sf)’, respectivamente, para as Séries Sênior (309ª) e Subordinada (310ª) de CRIs da 1ª Emissão da Fortesec – Risco SPE STX 16.; perspectiva estável
A Austin Rating informa que, no dia 15 de setembro de 2020, atribuiu o rating de crédito de longo prazo ‘brBBB-(sf)’ para a Série Sênior (309ª Série) e ‘brBB-(sf)’ para a Série Subordinada (310ª Série) da 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários da Forte Securitizadora S/A (Fortesec). As classificações possuem perspectiva estável. Os CRIs são lastreados em Cédulas de Crédito Imobiliário (CCI / Crédito Lastro) sem garantia real imobiliária representativas da Primeira Emissão Privada de Debêntures não Conversíveis em Ações, de espécie quirografária, da SPE STX 16 Desenvolvimento Imobiliário S/A (STX 16 / Cedente) que será emitida e cedida para a Fortesec. O projeto está sendo desenvolvido no município de São Paulo-SP e é composto por 198 apartamentos dispostos no regime de condo-hotel que darão direito aos rendimentos do Soft Inn São Paulo Business Hotel. A Cedente é uma sociedade com o propósito específico (SPE) de incorporar e comercializar unidades imobiliárias do hotel Soft Inn, controlada da STX Desenvolvimento Imobiliário S/A (Grupo STX), sediada no Rio de Janeiro e em São Paulo, holding que possui mais de 30 anos de atuação, cujo controle principal está na mão de Marcelo Paes Fernandez Conde. Os recursos da Emissão serão utilizados para a restituição das despesas com a emissão, além das despesas decorrentes do desenvolvimento do Empreendimento. Cada CCI representa os Créditos Imobiliários decorrentes das Debêntures. As CCIs alcançam montante de R$ 11,8 milhões (Valor de Cessão) que darão lastro à Emissão e poderão decorrer de Créditos Imobiliários atuais e futuros, decorrentes de comercializações de Unidades Imobiliárias através de Contratos Imobiliários (Créditos Cedidos Fiduciariamente), celebrado com os respectivos adquirentes (Devedores), bem como direitos de crédito decorrentes das Debêntures (Créditos Imobiliários, e, em conjunto com os Créditos Cedidos Fiduciariamente, Créditos Imobiliários Totais). Conforme definido no Termo de Securitização (TS), a Emissão contempla 11.800 CRIs com valor nominal unitário de R$ 1,0 mil, cada, perfazendo um principal total de R$ 11,8 milhões. Os CRIs guardam as seguintes características, de acordo com as Séries emitidas: (i) a 309ª Série (Sênior), perfaz 9.440 unidades, valor global de R$ 9,4 milhões e remuneração esperada de 11,32% ao ano; e (ii) a 310ª Série (Subordinada), perfaz 2.360 CRIs, principal total de R$ 2,4 milhões e remuneração de 18,00% ao ano sobre o saldo atualizado pelo IGPM/FGV. A data de emissão dos CRIs foi em nov/19 e ambas as séries já foram integralizadas. O pagamento dos CRIs será efetivado na data de vencimento final desta emissão, com vencimento previsto para nov/22.