quarta-feira, 23 de setembro de 2020
Austin atribui o rating ‘brBB+(sf)’ para a 1ª Série de Cotas Seniores do FIDC Capital BR; perspectiva negativa
A Austin Rating informa que, no dia 15 de setembro de 2020, atribuiu o rating ‘brBB+(sf)’ para a 1ª Série de Cotas Seniores do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Capital BR (FIDC Capital BR/ Fundo), inscrito no CNPJ/ME sob o nº 23.781.331/0001-01. A classificação possui perspectiva negativa. A 1ª Série de Cotas Seniores do FIDC Capital BR havia recebido rating preliminar ‘brBB+(sf)(p)’ em nov/19. A atribuição de classificação final idêntica nesta ocasião foi possibilitada, além da manutenção dos principais parâmetros de Regulamento do Fundo, de seu desempenho dentro das expectativas e de sua posição de caixa, pela relativa melhora no perfil de liquidez da Concessionária Bahia Norte S.A. (CBN / Devedora), a única devedora dos Direitos Creditórios presentes em sua carteira, o que se deu a partir do alongamento de prazos de pagamento a fornecedores e de stand still de pagamento de principal e juros das dívidas junto a seus principais credores financeiros. O sucesso da CBN nas renegociações desses passivos está ligado, em larga medida, ao recente anúncio da mudança de seu controle acionário, que deixará de ser exercido pela Odebrecht TransPort S.A. (Odebrecht TransPort / OTP) e passará para a Verona Holding Participações Societárias Ltda. (Verona), empresa controlada por fundo sob gestão da Monte Equity Partners. Essa transação, que teve início em abr/20 e também inclui a transferência das ações detidas pela Investimentos e Participações em Infraestrutura S.A. (Invepar) para a Verona, já foi aprovada sem ressalvas pelos cotistas do FIDC Capital BR, em AGC de 28 de julho de 2020, e sua concretização depende apenas de aprovação pelo Poder Concedente, o que tende a ocorrer em breve, conforme apurado pela Austin Rating. Não obstante absorver os efeitos positivos da mudança de controle da CBN, sobretudo no que diz respeito à melhora de seu acesso a crédito de longo prazo, a classificação final e a perspectiva negativa a ela associada estão considerando uma possível piora da capacidade de pagamento e do risco de refinanciamento daquela companhia no horizonte de vencimento das Cotas Seniores da 1ª Série (com resgate em final de 2021), em face do cenário de crise gerado pela COVID-19 e da redução de tráfego no trecho rodoviário sob sua concessão.