quinta-feira, 4 de junho de 2020
Austin afirma o rating ‘brA’ do Banco Tricury S/A; perspectiva estável
A Austin Rating informa que, no dia 21 de maio de 2020, afirmou o rating de crédito de longo prazo ‘brA’ do Banco Tricury S/A (Banco/ Tricury/ instituição). Na mesma oportunidade, afirmou o rating de curto prazo ‘brA-2’. A perspectiva dos ratings é estável. A afirmação do rating reflete fundamentalmente os seguintes pontos: i) a prudente gestão das operações de crédito e a boa qualidade dos seus ativos. O Banco encerrou o 1ºT/20, período que antecede a conjuntura econômica desfavorável derivada da pandemia da COVID-19, com um índice de inadimplência medido pelo total dos contratos vencidos acima de 60 dias de apenas 1,7% do total da carteira de crédito; ii) a postura conservadora da administração em sua estratégia de crescimento orgânico, preservando a solidez financeira da instituição e a não alteração de sua política de crédito, pautada pela diversificação setorial e pela exigência de garantias reais, sobretudo a alienação fiduciária de imóveis; iii) solidez financeira do Banco amparada em elevados níveis de capitalização historicamente reportados e a baixa alavancagem em crédito, com um indicador de Basileia de 49,2% em dez/19 e uma relação crédito/PL reduzida de 1,0x em mar/20; iv) níveis confortáveis de liquidez para fazer frente às suas obrigações com terceiros, por meio da manutenção de elevado volume de caixa e pelo funding composto, em parte, por depósitos a prazo de fontes ligadas aos acionistas, de clientes cativos e, letras de crédito imobiliário. Em mar/20, o caixa livre do Banco cobria 81,7% a soma das obrigações de depósitos a prazo e letras de crédito imobiliárias (LCIs) vincendas no curto e longo prazo, e equivalia a 127,8% o valor do Patrimônio Líquido reportado no final do 1ºT/20; v) a rentabilidade do Banco é recorrente e se sustenta fundamentalmente nos ganhos com receitas de juros advindos de suas operações de crédito, atividade na qual o Banco tem conseguido operar com bons spreads e boas garantias; vi) muito bons índices de eficiência de custos (41,6% em dez/19; 56,2% em mar/20), refletindo sua estrutura operacional bem enxuta (35 colaboradores em dez/19); vii) bons indicadores de rentabilidade (em dez/19, retorno sobre o Patrimônio Líquido final de 10,0% e retorno sobre os ativos de 3,9%), sendo estes obtidos com elevado nível de capitalização e baixa alavancagem em crédito. Em mar/20, o retorno sobre o Patrimônio Líquido final foi de 12,7% e retorno sobre os ativos de 4,9%. A classificação é limitada, no entanto, pelos seguintes aspectos: i) porte reduzido da instituição (Patrimônio Líquido de R$ 232,1 milhões em mar/20), operando em um ambiente competitivo, com concentração das fontes de receita e de funding. Em linha, o Patrimônio Líquido da instituição foi reduzido em 2016, mediante a devolução da participação da totalidade das cotas de empresa controlada para a controladora do Banco, Tricury Participações Ltda.; ii) o resultado econômico do Banco encontra-se dependente da atividade de crédito voltada ao segmento do middle market, este sendo segmento sensível a reversões desfavoráveis na conjuntura econômica, restrição da oferta de novas concessões e menor disponibilidade de boas garantias, o que pode encadear uma pior qualidade creditícia de empresas atuando neste segmento e o aumento das provisões para créditos de liquidação duvidosa. Adicionalmente, cumpre mencionar, que o prazo esperado de recebimento do principal de operações de crédito concedidas pelo Banco e/ou a recuperação e liquidação de garantias atreladas a determinadas operações, podem ser afetadas com a interrupção da atividade econômica dos tomadores de crédito, bem como dos serviços de cartórios e órgãos judiciais provocados pela pandemia da covid-19, o que pode impactar na amortização das dívidas e na execução das garantias, ao menos no curto prazo; iii) em mar/20, a cobertura de provisões sobre o total dos contratos vencidos foi somente de 0,27x, nível de cobertura considerado baixo pela Austin Rating; iv) a carteira de crédito encontra-se concentrada em torno dos maiores tomadores, em que pese de acordo com a Alta Administração do Banco, 85% da carteira de crédito seja garantida com a alienação fiduciária de imóveis, cujo valor de mercado supera em aproximadamente 2x o saldo devedor das dívidas; v) o funding do Banco encontra-se restrito a um número reduzido de aplicadores, cabendo aos maiores investidores uma ligeira concentração no total de recursos captados.