quarta-feira, 7 de dezembro de 2016
Austin rebaixa, de ‘brA(sf)’ para ‘brBB(sf)’,o rating da 1ª Série de Cotas Seniores do Infinity Sul FIDC e o mantém em observação negativa
A Austin Rating informa que, por decisão de seu Comitê de Classificação de Risco, em reunião realizada no dia 30 de novembro de 2016, rebaixou, de ‘brA(sf)’ para ‘brBB(sf)’, o rating de crédito da 1ª Série de Cotas Seniores do Infinity Sul Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multissetorial LP (Infinity Sul FIDC) e o manteve em observação negativa. O rating ‘brCC(sf)’ das Cotas Subordinadas Júnior permaneceu, do mesmo modo, sob observação negativa, o que implica na possibilidade de rebaixamento no curto prazo. O rebaixamento do rating da 1ª Série de Cotas Seniores e a persistência das classificações em observação negativa neste monitoramento decorrem da persistência de desempenho abaixo do esperado pelo Fundo nos últimos 12 meses. No período compreendido entre out/15 e set/16, o retorno acumulado pela Classe de Cotas Subordinadas Júnior ficou negativa em 13,4%, evidenciando a deterioração da qualidade creditícia da carteira. Além disso, a rentabilidade foi penalizada devido ao aumento substancial da provisão para devedores que representava, em média, 31,9% do PL no trimestre em análise ante 22,0% no histórico de doze meses, reagindo, principalmente, à elevação do total de créditos em atraso por mais de 60 dias e à renegociação junto aos Cedentes dos maiores créditos em carteira (por meio de Instrumento de Confissão de Dívida), com saldo de R$ 1.960,9 mil (28,9% do PL em set/16). Note-se que esses créditos impactaram no prazo médio da carteira de Direitos Creditórios do Fundo, que fechou o trimestre em 50 dias úteis, prazo considerado elevado para o tipo de ativo (recebíveis comerciais). Adicionalmente, as ações de rating tomadas pela Austin Rating na presente data levaram em conta as alterações realizadas no Regulamento do Infinity Sul FIDC, por deliberação de Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas de 17 de outubro de 2016, especialmente aquelas que poderão impactar o perfil de risco futuro de sua carteira. Dentre essas alterações, destacam-se: (i) Redução do índice de subordinação mínima para as Cotas Seniores, passando o Fundo a contar com mínimo de 25,0% (ante 50,0% do Regulamento anterior) de seu PL em Cotas Subordinadas, sejam classes Mezanino ou Júnior; (ii) o Fundo passa a admitir a aquisição de Direitos Creditórios de empresas em recuperação judicial ou extrajudicial sem que tenha sido homologado judicialmente ou com trânsito em julgado; (iii) A soma dos 10 maiores Cedentes e grupos econômicos poderão representar até 80,0% do PL do Fundo (ante 50,0% do regulamento anterior); (iv) A soma dos 10 maiores Sacados e grupos econômicos poderão representar até 60,0% do PL do Fundo (ante 50,0% do regulamento anterior). (v) possibilidade das deliberações de Assembleia Geral de Cotistas serem tomadas mediante o processo de consulta, por correio eletrônico, preferencialmente, ou por carta de aviso de recebimento. O prazo de resposta das consultas será de 15 dias, sendo que após esse prazo, a consulta será declarada aprovada. As alterações efetuadas permitem ao Fundo trabalhar com empresas com perfil mais arriscado, afetando, consequentemente, a qualidade creditícia da carteira.