ESCALA DE RATING - EMISSÕES
Download PDF
Em suas classificações de risco de crédito, a Austin Rating utiliza uma escala nacional, identificada pelo prefixo “br”, cujas notas são indicativas do risco comparativamente a outros emissores ou emissões domésticos. Desse modo, cabe alertar que os ratings nacionais emitidos pela agência não podem ser comparados com classificações de outros países. No caso do Rating de Emissões, as letras traduzem o risco de inadimplemento de obrigações financeiras específicas no longo prazo ou no curto prazo, dependendo da característica da operação.
Escala Nacional de Longo Prazo (superior a 360 dias)
brAAA Obrigações protegidas por excepcionais margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias sólidas sendo consideradas como a melhor qualidade de crédito. A capacidade de pagamento é extremamente forte. O risco de crédito é quase nulo.
brAA Obrigações protegidas por ótimas margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias sólidas. A capacidade de pagamento é muito forte. O risco de crédito é muito baixo.
brA Obrigações protegidas por elevadas margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias seguras. A capacidade de pagamento é forte. O risco de crédito é baixo.
brBBB Obrigações protegidas por boas margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias seguras. A capacidade de pagamento é adequada. O risco de crédito é moderado.
brBB Obrigações protegidas por moderadas margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias moderadas e apresentam menor probabilidade de default entre os títulos com grau especulativo. A capacidade de pagamento é fraca. O risco de crédito é relevante.
brB Obrigações protegidas por moderadas margens de cobertura para o pagamento de juros e principal. Obrigações suportadas por garantias fracas. A capacidade de pagamento é muito fraca. O risco de crédito é Alto.
brCCC Obrigações pouco protegidas pelas circunstâncias operacionais desfavoráveis da instituição. Obrigações suportadas por garantias fracas. A capacidade de pagamento é extremamente fraca. O risco de crédito é muito alto.
brCC, brC Obrigações desprotegidas pelas circunstâncias operacionais negativas da instituição. Obrigações não suportadas por garantias. Existe uma grande incerteza quanto ao pagamento dos juros e principal. O risco de crédito é extremamente alto.
brD Pagamento em situação de Default.
A escala de rating de crédito de longo prazo prevê a utilização dos diferenciadores + (mais) e – (menos) entre as categorias AA e B. Estes diferenciadores servem para identificar uma melhor ou pior posição dentro destas categorias de rating. A Austin Rating adota, ainda, os sufixos “(sf)”, para diferenciar emissões em finanças estruturadas, e “(p)”, para diferenciar classificações atribuídas em caráter preliminar. O sufixo (pi) também poderá ser utilizado por esta agência para identificar ratings baseados exclusivamente em informações públicas.
Escala Nacional de Curto Prazo (Inferior a 360 dias)
brA-1 Excelente capacidade de pagamento de obrigações de curto prazo, comparativamente a outros emissores e emissões nacionais. Essas emissões apresentam segurança extremamente forte quanto ao pagamento de juros e principal. O risco de crédito é muito baixo.
brA-2 Boa capacidade de pagamento de obrigações de curto prazo, comparativamente a outros emissores e emissões nacionais. Essas emissões apresentam segurança forte quanto ao pagamento de juros e principal. O risco de crédito é baixo.
brA-3 Satisfatória capacidade de pagamento de obrigações de curto prazo, comparativamente a outros emissores e emissões nacionais. Essas emissões apresentam segurança adequada quanto ao pagamento de juros e principal, porém risco maior dentre as classificadas como grau de investimento. O risco de crédito é moderado.
brB Fraca capacidade de pagamento de obrigações de curto prazo, comparativamente a outros emissores e emissões nacionais. Essas emissões apresentam segurança abaixo da média para o pagamento de juros e principal. O risco de crédito é alto.
brC Capacidade de pagamento de obrigações de curto prazo muito fraca, comparativamente a outros emissores e emissões nacionais. Emissões com este rating apresentam segurança muito fraca quanto ao pagamento de juros e principal. O risco de crédito é muito alto.
brD Pagamento em situação de Default.
A escala de rating de crédito de curto prazo não prevê a utilização dos diferenciadores.
Perspectiva
Todos os ratings atribuídos e acompanhados pela Austin Rating carregam consigo uma “Perspectiva”, a qual traduz uma opinião sobre a direção do rating no médio prazo e a possibilidade atual de transição em sua escala durante o prazo de 3 a 12 meses.

A Austin Rating trabalha com três status de perspectiva:
- “Estável” - indica a possibilidade atual de manutenção do rating.
- “Positiva” - indica a possibilidade atual de elevação do rating.
- “Negativa” - indica a possibilidade atual de rebaixamento do rating.

Os ratings iniciais são acompanhados da atribuição de uma perspectiva “Estável”. A partir da publicação do rating e do início do acompanhamento, esta perspectiva poderá ser alterada ou mantida nas revisões regulares, bem como nas revisões atemporais. A perspectiva de um rating pode ser alterada para “Positiva” ou “Negativa” sempre que os fundamentos (quantitativos e qualitativos) que o suportam apresentarem sinais evidentes de melhora ou de deterioração.
Observação
Esta ação indica a ocorrência de um evento que pode melhorar ou deteriorar os fundamentos de um emissor ou emissão no curto prazo (ex.: risco de imagem, deterioração dos fundamentos financeiros etc.). Indica que o rating de um emissor ou emissão está sendo revisto, com possível tendência de alteração no prazo máximo de até 3 meses. A Austin Rating atua com dois tipos de observação:

- Negativa: indica possibilidade de redução de rating e/ou de alteração para perspectiva negativa.
- Positiva: indica possibilidade de elevação de rating e/ou de alteração para perspectiva positiva.
Retirada de Observação
Indica que os eventos que ensejaram uma revisão do rating foram discutidos e analisados, culminando na afirmação (tanto no caso de uma observação positiva, como de uma observação negativa), elevação (observação positiva) ou rebaixamento (observação negativa) de um rating.